Aula: Germinação, meio ambiente e cidadania.

Dados da aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

  • Perceber os cuidados necessários para a preservação do meio ambiente;
  • Valorizar situações que impliquem cuidados com os seres vivos;
  • Reconhecer a relação do homem com o ecossistema e a qualidade de vida.
  • Fazer a observação dária do desenvolvimento da planta.

Duração das atividades

10 aulas de 50 minutos aproximadamente.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Como conhecimento prévio sobre o assunto os alunos farão o empréstimo do livro de literatura João pé de feijão que será levado para casa.

pe de feijão

Estratégias e recursos da aula

1° aula

A professora conta a história João pé de feijão conto adaptado dos Irmãos Griim e logo após os alunos fazem a dramatização. Interpretação da sequencia de gravuras relacionadas as etapas da germinação.

2° aula

Combinar com os alunos para trazerem de casa uma garrafa descartável de refrigerante para fazer o vaso. ( essa atividade será realizada numa segunda- feira com o objetivo de os alunos poderem observar o processo da germinação)

Recolher a terra para o plantio que será feita pelos próprios alunos, fazendo observação com auxílio de uma lupa do tipo de solo, cor, textura, umidade e nutrientes organicos como vegetação morta. Logo em seguida os alunos fazem o platio de alguns grãos de feijão em seu vaso e molham a terra e diáriamente levam ao sol.

Paralelamente serão plantados outros vasos e um será colocado dentro do armário em ambiente sem luz, outro ficará sem água.

Fazer registros diários das observações de todos os vasos.

3° aula

Fazer registros diários das observações de todos os vasos.

Assistir o filme De onde vem? (TV Escola/MEC, Brasil, 2002) para observar de onde vem o ovo, o papel e o açúcar.

4°aula

Fazer registros diários das observações de todos os vasos.

Realizar um acróstico com a palavra SEMENTE e explorar novas palavras coletivamente relacionadas ao tema, ex:

SEMENTE

ELA

MORRE

ERVILHA

NOZES

TOMATE

ESCURO

5°aula

Fazer registros diários das observações de todos os vasos.

Curiosidade- abrir uma semente de feijão e com o auxílio de uma lupa observar o desenvolvimento dentro da semente. Trabalhar as partes de uma planta.

Realizar a atividade proposta no livro didático Coleção Redescobrir Ciencias- Janeth Wolff, Eduardo Martins; São Paulo: FTD, 2005, pag. 138 a 141.

6° aula

Fazer registros diários das observações de todos os vasos

Trabalhar o sistema gráfico da letra S/ grafema/ fonema/ som de S inicial/final/som de S/Z/SS

7° aula

Fazer registros diários das observações de todos os vasos.

Conversar sobre as observações feitas até o momento e registrar coletivamente os resultados.

Atividade de recorte e colagem de uma das partes da planta- flor

8 aula

Fazer registros diários das observações de todos os vasos.

Comparar os resultados das plantas que ficaram sem água e sem luz.Explicar a necessidade que todos os seres vivos tem do sol (luz e calor) e da água para sobreviverem.

Recursos complementares

Após uma semana os alunos levam o feijão para casa que poderá ser plantado num vaso maior ou diretamente na horta para que os alunos acompanhem o seu desenvolvimento e reutilizar o vaso de garrafa descartável para fazer o plantio de outras sementes.

Avaliação

Ao final do trabalho propor um texto coletivo onde juntamente com a professsora farão as anotações do que aprenderam com essa atividade e após fazer a ilustração

O professor avaliará se o aluno:

  • compreendeu as etapas do desenvolvimento de uma semente;
  • conseguiu se expressar oralmente sobre o crescimento da planta;
  • reconheceu a importância da água e da luz (calor) para o crescimento das plantas;
  • percebeu a relação do homem com o meio ambiente, preservação do solo e plantas.

O que é StopMotion e PodCast

A história do StopMotion remonta aos primórdios do cinema. O mágico e ilusionista francês George Mélies viu nesta arte uma ótima possibilidade para dar sequência aos seus truques misteriosos que encantavam a todos. A partir da técnica do Stop Motion ele alcançou o ápice de sua carreira cinematográfica com o filme Viagem à Lua, de 1902. No curta, a chegada na Lua de um foguete com tripulação humana é criada a partir desta técnica. Ao longo do século XX a técnica foi sendo desenvolvida e aprimorada por diversos diretores de cinema e durante muito tempo foi a base para efeitos especiais em filmes com robôs e monstros, pois como ainda não existia toda esta tecnologia capaz de criar qualquer coisa a partir de um computador, os cineastas recorriam à movimentação quadro a quadro. Stop motion é uma técnica de animação fotograma com recurso a uma máquina de filmar, máquina fotográfica ou por computador. Utilizam-se modelos reais em diversos materiais, dentro dos mais comuns, estão a massa de modelar. Os modelos são movimentados e fotografados quadro a quadro. Estes quadros são posteriormente montados em uma película cinematográfica, criando a impressão de movimento. Nesta fase podem ser acrescentados efeitos sonoros como fala ou música.

PodCast é o nome dado ao arquivo de áudio digital, geralmente em formato MP3 ou AAC(este último pode conter imagens estáticas e links), publicado através de podcasting nainternet. O “podcast” surge como um novo recurso tecnológico, um canal de comunicação informal de grande utilidade, que permite a transmissão e distribuição de noticias, áudios, vídeos e informações diversas na internet, o que contribui para a disseminação da informação de maneira fácil, rápida e gratuita.

Vídeos para relaxar

Musicas para relaxar

https://cladami.wordpress.com/wp-admin/post.php?post=36&action=edit&message=1#post_name

Conceituando Hipertexto

Hipertexto é o termo que remete a um texto em formato digital, ao qual agrega-se outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, palavras, imagens ou sons, cujo acesso se dá através de referências específicas denominadas hiperlinks, ou simplesmente links. Esses links ocorrem na forma de termos destacados no corpo de texto principal, ícones gráficos ou imagens e têm a função de interconectar os diversos conjuntos de informação, oferecendo acesso sob demanda as informações que estendem ou complementam o texto principal.
Na sala de aula, onde se trabalha com hipertexto, os alunos, num sistema de colaboração, acabam aprendendo mais e através de diversas fontes. O próprio conceito de hipertexto, pode nos levar a essa intenção. Uma atividade colaborativa traz benefícios extraordinários no que diz respeito a construção individual e coletiva do conhecimento. Os professores também podem trabalhar com hipertexto para funções pedagógicas. Utilizar textos de várias turmas e redistribuí-los é um bom exemplo. O hipertexto também traz como vantagem para a educação a construção do conhecimento compartilhado, um importante recurso para organizar material de diferentes disciplinas.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hipertexto

 

O termo hipertexto foi criado por Theodore Nelson, na década de sessenta, para denominar a forma de escrita/leitura não linear na informática, pelo sistema “Xanadu”. Até então a idéia de hipertextualidade havia sido apenas manifestada pelo matemático e físico Vannevar Bush através do dispositivo “Memex”.

O hipertexto está relacionado à própria evolução da tecnologia computacional quando a interação passa à interatividade, em que o computador deixa de ser binário, rígido e centralizador, para oferecer ao usuário interfaces interativas. O termo interativo já pertencia ao campo das artes quando se propunha intervenção do/com apreciador, no entanto o termo interatividade passa a se associar a sistemas da informática, por fazer um contraponto à leitura/escrita das metanarrativas

http://www.infoescola.com/informatica/hipertexto/

 

Como o próprio nome diz, é algo que está numa posição superior à do texto, que vai além do texto. Dentro do hipertexto existem vários links, que permitem tecer o caminho para outras janelas, conectando algumas expressões com novos textos, fazendo com que estes se distanciem da linearidade da página e se pareçam mais com uma rede. Na Internet, cada site é um hipertexto – clicando em certas palavras vamos para novos trechos, e vamos construindo, nós mesmos, uma espécie de texto. Na definição de Jay Bolter (1991): “as partes de um hipertexto podem ser agrupadas e reagrupadas pelo leitor”.

Cada uma das páginas da rede é construída por vários autores: designers, projetistas gráficos, programadores, autores do conteúdo do texto. Cada percurso textual é tecido de maneira original e única pelo leitor cibernético. Não existe, portanto, um único autor: seria mais adequado falar de um sujeito coletivo, uma reunião e interação de consciências que produzem conhecimento e navegam juntas.

 http://www.revistaconecta.com/destaque/edicao04.htm

Resumindo, o hipertexto tem sido uma ferramenta bastante utilizada na era digital, e pode-se dizer que grande parte dos textos informatizados encontrados na Web, utilizam links ou hiperlinks. O trabalho com hipertexto pode impulsionar o aluno à pesquisa e à produção textual,
pode ser uma forte ferramenta no processo de ensino e aprendizagem por facilitar um ambiente no qual a aprendizagem acontece de forma incidental e por descoberta, pois ao tentar localizar uma informação os aluno clicam no hiperlink e participam de um processo de busca e construção do conhecimento, sendo uma grande novidade que atrai se utilizada de maneira correta pode atrair a atenção dos alunos, facilitando a aprendizagem.

 

Diário de bordo

O uso da tecnologia está cada vez mais presente na educação e a adoção de práticas pedagógicas inovadoras tem contribuído para melhorar o processo ensino-aprendizagem  como instrumentos para promover e colaborar para a integração social.

Sugestão de aula

SÉRIE: 1º ANO

DISCIPLINA: Matemática

 CONTEÚDO:  Colorir  Memória (Gcompris)

OBJETIVO:

 Desenvolver a coordenação motora e o raciocínio lógico.Identificação das cores e coordenação motora fina. Estimular a memória visual do aluno.

ENCAMINHAMENTOS (Software /atividade)

Realizar várias atividades utilizando o mouse. Pintar  desenhos utilizando o mouse.

 

Encontrar o par semelhante das figuras, usando para isso somente a memória, para lembrar onde a figura havia aparecido.

REFERÊNCIA: http://gcompris.net/-Instalar-  http://atividadeseducativas.com.br/index.php?id=6865

http://atividadeseducativas.com.br/index.php?id=6865

Cd Atividades 2011.

Entradas Mais Antigas Anteriores